- See more at: http://blogtimenow.com/blogging/automatically-redirect-blogger-blog-another-blog-website/#sthash.tE3zhdSg.dpuf

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Shakes emagrecedores. Saiba o que pensam os nutricionistas sobre eles.

Como nutricionista, fico apreensiva vendo que cada vez mais vem crescendo o número de pessoas, muitas vezes cultas e bem informadas, que fazem uso de “shakes”. 
É claro que pontualmente o objetivo destes produtos é alcançado (emagrecimento ou o ganho de peso), já que existe uma redução ou aumento da ingestão calórica, mas será que estes suplementos são tão bons assim? 
Tenho aqui algumas perguntas que todos deveriam se fazer antes de consumir tais produtos e respostas de órgãos de interesse público, com poder de normatizar, orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício e as atividades da profissão de nutricionista.

É possível manter o objetivo (perda ou ganho de peso) quando se para de consumir estes shakes?
“... consideramos que os produtos podem temporariamente atingir os seus objetivos (perda ou ganho de peso), mas não atuam de forma plena no âmago do problema, que seria a reeducação alimentar.” 
(Parecer do CRN 3 sobre pós para preparo de bebidas “shakes” para controle de peso.Disponível em:http://www.crn3.org.br/atualidades/revistas/arquivos/edicao_069.pdf)

Sou muito ocupado e não tenho tempo de preparar uma refeição. É possível manter uma dieta à base de shakes por longos períodos?
“quanto ao preparo, sem dúvida, o substituto de refeição é prático. Mas é imprescindível avaliar praticidade versus monotonia alimentar, considerando ainda outros contextos que envolvem uma refeição normal, no que diz respeito às características organolépticas, abrangendo aroma, visual, consistência, sabores variados.”
(Parecer do CRN 3 sobre pós para preparo de bebidas “shakes” para controle de peso. Disponível em: http://www.crn3.org.br/atualidades/revistas/arquivos/edicao_069.pdf)


Esses suplementos são realmente são saudáveis?
De acordo com o estudo da Pro teste, Fórmulas à base de shakes, usadas em substituição  a refeições visando ao emagrecimento, podem fazer mal à saúde, quando consumidas sem orientação de nutricionistas. 
Estudo da Pro Teste (www.proteste.org.br), da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, com cinco marcas (Bio Slim, DIET Shake, DIET Way, Herbalife e In Natura),  constatou que os shakes apresentam desequilíbrio nutricional. Eles têm excesso de proteínas e carboidratos, porém quase nenhuma gordura, nutriente essencial para a absorção de vitaminas. 
Os produtos seguem legislação específica e estão dentro das normas, mas não são balanceados, saudáveis. Por exemplo, os shakes fornecem, em média, 32% de proteína. 
Para a Pro Teste, o ideal é que as proteínas não ultrapassassem 10% a 15% do valor energético. Proteínas em excesso causam danos ao fígado e aos rins, além de perda de minerais, como cálcio. A dieta saudável deve ter ainda de 50% a 60% de carboidratos, 20% a 25% de gorduras.
Há risco, entre outros problemas, de perda de massa muscular e queda de cabelo. 
Outro problema é a falta de gordura nos shakes. O nosso corpo precisa dos lipídios para absorver algumas vitaminas e sintetizar hormônios. 
Com relação às fibras para substituir uma refeição, eles deveriam ter cerca de 10g por porção. Nenhuma das marcas atinge este valor. O DIET Shake e o Herbalife não têm data de fabricação, e o último não diz a validade depois de aberto. (
(Disponível em: http://www.cfn.org.br/novosite/conteudo.aspx?IdMenu=215&idconteudo=927)

Nove motivos para não fazer uso de shakes
  1. Ocasionaruptura do hábito alimentar;
  2. Não levaà mudança de comportamentos alimentares e de hábitos de vida inadequados;
  3. Não visam e nem promovem a reeducação alimentar e nutricional e a assunção de um estilo de vida mais saudável;
  4. Padronizaas pessoas em termos de ingestão alimentar, energética e de nutrientes;
  5. Não levaem conta os diferentes tipos de obesidade;
  6. Não consideraos riscos à saúde, freqüentemente associados ao sobrepeso/obesidade, entre eles: hipertensão arterial, hiperlipidemias, hiperglicemia e hiperuricemia;
  7. Ignoraos aspectos sociais, econômicos e psico-culturais dos alimentos e do ato de comer;
  8. Propõesubstitutos monótonos de refeição e, por isso mesmo, de consumo temporário;
  9. Estimulao estabelecimento do efeito ioiô, quando o cliente abandona o substituto de refeições e retorna à alimentação costumeira 
(Parecer do CRN 3 sobre pós para preparo de bebidas “shakes” para controle de peso.Disponível em: http://www.crn3.org.br/atualidades/revistas/arquivos/edicao_069.pdf)


O alimento in natura deve sempre ser priorizado, preconizando-se o consumo de porções adequadas de fontes de carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, minerais, fibras e de água, essenciais à saúde e à vida. Evita-se assim o consumo exagerado de produtos industrializados, ricos em sódio, gorduras saturadas, gorduras trans, aditivos químicos e outras substâncias prejudiciais à saúde.


fontes:
Parecer do CRN 3 sobre pós para preparo de bebidas “shakes” para controle de peso. Disponível em: http://www.crn3.org.br/atualidades/revistas/arquivos/edicao_069.pdf
 http://www.cfn.org.br/novosite/conteudo.aspx?IdMenu=215&idconteudo=927
Posicionamento do CRN-5 em relação aos Produtos Herbalife Diponível em: http://crn5.org.br/wp-content/uploads/2013/05/03_23.08.12-Parecer-Tecnico_HERBALIFE-2012.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário